quarta-feira, 21 de Maio de 2008

Como será o Automóvel do Futuro?

Saudações estimados visitantes. Esta semana é a Sofia que vos vem falar um pouco sobre o carro do futuro e algumas das condições que este deve reunir!

Imagine...
Estamos em 2057. Como é que vê o carro do futuro? Como é que se imagina naquela altura? Estará a conduzir? Como? O que é que o automóvel do futuro deveria fazer e não fazer?


Funcionalidades que o automóvel do futuro deverá ter:

Adaptação e flexibilidade face ao utilizador: o automóvel do futuro deve proporcionar soluções de condução, entretenimento, comunicação, conforto, segurança etc. a cada passageiro, rápida e facilmente, automática ou manualmente.

Optimização do conforto: o automóvel do futuro deve permitir que cada passageiro tenha o conforto de que precisa e que quer, sem incomodar os outros passageiros.

Amigo do ambiente: o automóvel do futuro não deve poluir, deve ser construído com materiais recicláveis e pode ajudar a melhorar a qualidade do ar urbano.

Entretenimento, educação e bem-estar: o automóvel do futuro, como espaço não somente para ser transportado, mas também para viver, deve proporcionar condições ímpares de entretenimento, bem-estar e estudo para cada passageiro.

Durabilidade e robustez: o automóvel do futuro deve ser fiável e robusto, com um período de vida útil elevado.

Protecção dos utilizadores: o automóvel do futuro deve evitar que a integridade física dos passageiros seja afectada, tanto evitando acidentes de viação como evitando pequenos acidentes no seu espaço interior.

Manutenção fácil e automática: o automóvel do futuro deve evitar que hajam avarias e, quando estas não podem ser evitadas, a sua reparação deve fazer-se automaticamente ou pelos próprios utilizadores, sem recorrer a especialistas.

Minimalismo: o automóvel do futuro deve oferecer somente as funções necessárias quando forem precisas. Deve igualmente ocupar o espaço estritamente necessário, podendo mudar de volume em função do número de passageiros.

Carros do Futuro:
Aptera, o carro do futuro:

- Aqui está um belo exemplar de um carro amigo do ambiente.
- Completamente Eléctrico – Funciona exclusivamente a baterias com autonomia aproximadamente de 290 quilómetros.





beON - um veículo futurista:

- Projecto para um veículo de propulsão híbrida.

-O beON é na verdade um todo-o-terreno desportivo com cuja carlinga panorâmica permite desfrutar totalmente as viagens com o máximo conforto - um total envolvimento com o ambiente.


Espero que tenham gostado!
Sofia =)

sexta-feira, 16 de Maio de 2008

A Casa do Futuro


Olá queridos visitantes!!!

Esta semana já não vou falar mais da evolução humana, mas sim do futuro da tecnologia, neste caso na Casa do Futuro. É um artigo um pouco extenso, mas leiam vale a pena saber o que o futuro nos reserva.

Em Maio de 2003, foi inaugurada a “Casa do Futuro Interactiva”, com características de habitação comum, mas com muita tecnologia inserida.
Atravessando um espectacular jardim virtual, dirigimo-nos para o interior da Casa, a qual tem no seu exterior uma caixa de correio inteligente.
A abertura da porta da Casa é feita através de um sensor que reconhece a face das pessoas autorizadas para entrar. Tratando-se de um visitante que toca à porta, a campainha soa no interior da Casa, as luzes acendem e apagam, os quadros virtuais das paredes indicam este facto e as televisões mudam o canal de TV para o vídeo--porteiro.

A entrada da Casa é feita através do jardim interior, onde dois cães robot reagem à presença do visitante. Ao entrar na sala, se o visitante foi autorizado a entrar, por ter sido reconhecido pelo sensor, depara-se com um ecrã onde constam referências a vários eventos ocorridos na sua ausência, tais como alarmes, mensagens, etc.. Nas paredes há um conjunto de quadros virtuais que exibem imagens pré-programadas de acordo com o interesse dos habitantes, bem como as mensagens de alarme e mudanças de estado da Casa. Uma das portas envidraçadas da sala pode irradiar calor para o interior.

Na zona das refeições existe uma mesa com um tampo de vidro que muda de cor, de modo programado. A Casa pode ser comandada através da voz, existindo para tal um mordomo virtual que executa várias tarefas de acordo com as mensagens que lhe são transmitidas oralmente. Um aspirador robot cumpre a sua função, previamente programada. A pensar nos deficientes motores, existe uma cadeira de rodas, equipada com um computador, que permite comandar várias funcionalidades da Casa, navegar na Internet ou utilizar um programa especial para comunicar de forma autónoma, se tiver perdido a faculdade de falar. Tudo isto através do uso de um pequeno estilete ou com pequenos toques de cabeça num sensor apropriado.

Na cozinha todos os electrodomésticos são comandados por um computador, o que os potencia para serem comandados à distância. Há ainda um frigorífico que funciona como centro de comunicações, permitindo a consulta de receitas, agenda, troca de mensagens vídeo, navegação na Internet, etc..

No espaço escritório é possível encontrar um sistema de comando de um computador em que o rato é substituído pelo movimento dos olhos. Há ainda um conjunto de equipamentos hi-tec que servem de suporte à actividade dos habitantes da Casa.
Um jardim interior dá acesso a um estúdio de home-cinema, onde as imagens presentes num ecrã de plasma transmitem às suas paredes as cores dominantes, criando, deste modo, um agradável envolvimento para o utilizador.

O quarto do casal tem uma ampla janela, cujo vidro pode passar do estado de transparente a opaco e vice-versa, através de um comando remoto. No quarto existe um ecrã de plasma, onde é possível ver, em simultâneo, dois programas de TV, ou um só, utilizando a outra metade como ecrã de computador.

O quarto do jovem está equipado de modo a torná-lo acessível a um utilizador amblíope ou mesmo cego. Para isso tem uma iluminação especial, uma lupa multimédia e um computador onde é possível transformar as mensagens escritas em mensagens de voz.

No quarto de banho é possível encontrar equipamentos sanitários especiais para portadores de deficiência neuromotora, bem como um espelho que se pode transformar em ecrã televisivo. Existe, ainda, um sofisticado sistema para engomar camisas.

No exterior da Casa existe um sistema “Displax”, que permite navegar no site da Casa por toques num vidro transparente. Existe, ainda, um equipamento de relaxação, a pensar nos deficientes profundos. Um jardim virtual e um sistema de grafitti virtual conferem à envolvente da Casa um aspecto lúdico. Uma simulação de posto de trabalho distante permite demonstrar uma funcionalidade importante que é a possibilidade de interagir à distância com a Casa.

Na minha opinião, acho esta casa fantástica e estou ansiosa para que o futuro chegue às nossas casas.Espero que tenham gostado desta "visita" ao futuro!



Com os cumprimentos

Filipa =) *

domingo, 11 de Maio de 2008

Neodarwinismo


Em 1942, as ideias originais de Darwin são combinadas com novos dados acerca da genética. O resultado originou a teoria sintética da evolução ou Neodarwinismo. Esta teoria engloba duas ideias fundamentais: variabilidade genética e selecção natural.

A diversidade do mundo vivo é a base sobre a qual actua a selecção natural. Esta diversidade tem como fonte primária as mutações e a recombinação genética.

As mutações introduzem novidade genética mas é principalmente a recombinação genética que cria a variabilidade, favorecendo o aparecimento de uma multiplicidade de diferentes combinações dos genes.

A selecção natural não actua sobre genes ou características genéticas isoladamente, mas sim sobre indivíduos com toda a sua carga genética. Cada conjunto genético confere determinadas potencialidades adaptativas aos indivíduos para um determinado meio e num determinado momento. O indivíduo que possua a combinação de caracteres mais vantajosa será seleccionado em relação a outros menos favorecidos da mesma população.

Quanto maior for a diversidade, maior é a probabilidade de uma população se adaptar a mudanças que ocorram nesse meio pois entre toda essa diversidade por aparecer um conjunto génico que seja favorecido pela selecção natural. As populações muito homogéneas e bem adaptadas podem ser eliminadas se, no seu habitat, ocorrerem, por exemplo, mudanças climáticas.

Quando as características do meio se alteram, o conjunto génico mais favorável, isto é, aquele que permite que o indivíduo sobreviva mais tempo e deixe mais descendência, pode deixar de o ser no novo ambiente.

O conjunto génico que torna os indivíduos menos adaptados encurta a sua sobrevivência e diminui a descendência. Em termos globais há genes que se tornam mais frequentes, enquanto que outros vão sendo progressivamente eliminados. Por esta razão, as populações vão ficando cada vez mais bem adaptadas ao meio.

Ao longo do tempo, determinados genes e, portanto, determinadas características, acabam por ser eliminados das populações, em detrimento de outros que se implantam, dando-se, assim, a evolução.


Até para a semana, Ana Filipa*

quarta-feira, 23 de Abril de 2008

Divulgação do nosso projecto



Ana Filipa, Ana Sílvia, Filipa, Juliana e Sofia, um grupo de alunas do 12.º ano, turma B, da Escola Secundária da Sé - Guarda, no âmbito da disciplina de Área de Projecto, quer divulgar a etapa final do seu projecto e dar a conhecer a toda a comunidade escolar a data e o lugar da apresentação do produto final - dia 19 de Maio às 15:30h, no salão desportivo da Escola Secundária da Sé – Guarda.
Nesta apresentação final, far-se-á uma breve síntese de toda a informação já organizada. Irá debater-se os temas o Homem e a Pré-História; o Homem e a Tecnologia Moderna; o Homem e o Futuro, tentando dar resposta ao problema: “Qual a influência da evolução tecnológica na evolução natural do Homem?”.
Terá a colaboração da Professora Luísa Queiroz, de Biologia, que ajudará na apresentação.
O trabalho desenvolvido ao longo do ano lectivo contou sempre com o apoio da Professora Maria de Lurdes Fonseca, que monitorizou as aulas de Área de Projecto.
Os professores, funcionários, encarregados de educação e alunos interessados em assistir devem dirigir-se ao grupo antes da data apresentada.

Mecanismos da evolução (continuação)

Darwinismo

Queridos visitantes:
Esta semana coube-me a mim a tarefa de publicar o artigo no blog sobre o Darwinismo, que é, como sabemos, uma das teorias da evolução...





Charles Robert Darwin (1809-188), um naturalista inglês, pertencente a uma família abastada , cresceu com as transformações sociais e culturais do séc. XIX, onde a visão evolucionista começava a ter seguidores.

As ideias de Darwin basearam-se num conjunto de dados e informações recolhidas ao longo de mais de 20 anos. Este conjunto de informações foram englobadas num conceito: o Darwinismo.

Este conceito é uma teoria que se baseia na opinião de alguns autores como Charles Lyell(que refere que as leis naturais são constantes no tempo e no espaço; que se deve explicar o passado a partir dos dados do presente; e que na longa história da Terra decorreram permanentemente mudanças geológicas lentas e graduais), Thomas R. Malthus (que defendia que, se factores externos, como doenças e falta de alimento, não limitassem o crescimento da população humana, esta duplicaria de 25 em 25 anos pois a população tende a crescer para além das possibilidades do meio para a sustentar, ou seja, cresce exponencialmente, enquanto que os recursos alimentares em progressão aritméticas) e na influência da Biogeografia (que depois de ter analisado todos os resultados recolhidos nas ilhas Galápagos, concluiu que as ilhas foram povoadas a partir do continente americano e que as características particulares da cada ilha condicionaram a evolução de cada espécie e daí a sua diferenciação) e, principalmente na experiência que ele próprio possuia (como criador de pombos intervindo em processos de selecção artificial) e no conceito de "Selecção Natural", que é a base desta teoria.

Selecção Artificial realizada por Darwin


A selecção natural é um conceito que Darwin utilizou muito, pois defende que em cada geração uma boa parte dos indivíduos é naturalmente eliminada porque se estabelece entre eles uma “luta pela sobrevivência”, devido à competição pelo alimento, pelo refugio e pelo espaço e à capacidade de fuga aos predadores; sobrevivem os individuos mais aptos e estes passam aos seus descendentes as caracteristicas que os permite sobreviver.


A teoria de Darwin gerou na comunidade cientifica, na Igreja e na sociedade uma grande controvérsia.

Darwin, contudo, e como muitos evolucionista de hoje, não viu razão para admirar menos um Criador que, ao invés de um acto único de criação, está continuamente presente nas leis que regem a Natureza.




Até para a próxima.....=D ****

Sílvia

domingo, 20 de Abril de 2008

Mecanismos de evolução


Evolucionismo versus fixismos


Até meados do século XIX a diversidade do mundo vivo era explicado de acordo com uma concepção resultante da interpretação dos textos bíblicos. Segundo esta interpretação, os seres vivos são o resultado de um acto divino, mantendo-se as diferentes espécies inalteradas ao longo do tempo desde o momento da sua criação. Esta explicação, conhecida como fixismo,considera a Natureza como um sistema ordenado,estável, onde cada forma viva, é criada para uma determinada finalidade e encontra-se perfeitamente adaptada.

Foi neste século que as ideias transformistas ganharam força e acabaram por impor o evolucionismo como paradigma da origem e diversidade das espécies. De entre os principais defensores das ideias de evolução destacam-se Lamarck e Darwin. As suas teorias defendem a existência de antepassados comuns a todos os seres vivos e a modificação lenta e gradual das espécies ao longo do tempo, diferindo nos mecanismos propostos para explicar o processo evolutivo. Como o evolucionismo defende que as espécies evoluem e dão origem a novas espécies, podemos constatar que se opõe completamente ao fixismo. Contudo esta oposição provoca, ainda hoje, debates, onde argumentos de natureza científica são confrontados com argumentos de natureza religiosa.

Após esta breve síntese, vou aprofundar o tema Lamarckismo.

Em 1809, Jean Baptiste Lamarck propôs uma explicação para a evolução dos seres vivos, que se baseava fundamentalmente em dois princípios:

* Lei do uso e do desuso

Lamarck considerava o ambiente como o principal agente responsável pela evolução dos seres vivos. Desta forma, a necessidade que os seres vivos sentem de se adaptar a novas condições ambientais, resultantes de alterações do ambiente, conduz ao uso ou ao desuso contínuo de certos orgãos. Deste modo, a função que o orgão desempenha acabará por determinar a sua estrutura como adaptação ao meio. Tendo em conta este princípio é possível referir dois exemplos:

- A toupeira, pelos seus hábitos subterrâneos, faz pouco uso da visão, o que tornou os seus olhos pequenos e pouco funcionais - atrofia do orgão sob a influência do meio.

- O pescoço alongado da girafa foi obtido graças ao hábito de este animal alongar a cabeça em busca das folhas de certas árvores de que se alimenta - desenvolvimento do orgão pela necessidade de adaptação ao meio.


*Lei da herança de caracteres adquiridos

Lamarck considerava que as transformações sofridas, provocadas pelo ambiente, quer no sentido do desenvolvimento do orgão quer da sua atfrofia, eram transmitidas à descendência. Essas pequenas transformações, ao acumularem-se ao longo de gerações sucessivas, provocariam o aparecimento de novas espécies, funcionando assim como o principal factor de evolução.


Podemos concluir que a teoria de Lamarck, apesar de considerar o fenómeno de adaptação ao ambiente, é bastante contestada, pois se é certo que o uso desenvolve as estruturas - lei do uso-, já não é certo afirmar-se que a descendência herdará essas estruturas com esse grau de desenvolvimento - lei da herança dos caracteres adquiridos. Hoje sabe-se que nenhuma alteração dos orgãos provocada por factores ambientais se transmite à descência, o que retira suporte à hipótese de Lamarck. Apenas se pode afirmar que as únicas alterações que se transmite à descendência são as que modificam o material genético dos gâmetas.


Até para a semana! * Juliana

quarta-feira, 2 de Abril de 2008

O Princípio do Fim...

Saudações queridos visitantes!!!



É com muito orgulho que nos apresentamos de novo ao trabalho neste 3º e último período. Nesta derradeira etapa do nosso projecto pretendemos utilizar os mesmos métodos de trabalho do período passado já que se mostraram bastante eficazes e produtivos.
Assim, teremos como base a divisão de tarefas por todos os elementos do grupo com o objectivo de conseguirmos melhores resultados.


Este período pretendemos aprofundar temas como: as teorias que explicam a evolução humana e as tecnologias do futuro, descortinando um pouco daquilo que o homem poderá usufruir nas próximas gerações. Iremos também centrar-nos na divulgação do nosso projecto à comunidade escolar, através de uma pequena exposição, e na elaboração da apresentação final do nosso trabalho que será uma síntese das matérias desenvolvidas ao longo do ano.

Só nos resta trabalhar para alcançar todos os nosso objectivos e cumprir com todas as nossas funções de modo a fazer surgir um magnífico trabalho fruto do nosso esforço, empenho e dedicação, que será sem duvida um marco final no nosso percurso estudantil e ao mesmo tempo a certeza de que a nossa missão não acaba aqui...

Agradecemos a todos o apoio que nos têm demonstrado. Prometemos que não os iremos decepcionar!

Com os melhores cumprimentos do grupo* =D